BUSCA  
 
    São Marcos, 19 de Setembro de 2014 |   Institucional   |   Anuncie   |   Assinaturas   |   Expediente   |   Colabore   |   Contato   |  
 
 
 
 
Escolas
ESCOLA DOM JOSÉ BARÉA realiza feira do livro nesta quarta e quinta-feira, 10 e 11 de setembro, no pavilhão de esportes. O projeto é uma parceria com a Editora Correa, que disponibilizou 4 mil livros de literatura infantil, adolescente e romances
 
Agenda
TCHÊ RUNNING. Participe da Rústica Farroupilha 2014 e 1ª Minirrústica Infantil no dia 20 de setembro, sábado, com saída na Praça Dante Marcucci, às 17 horas. Inscrições pelo telefone 54 3291 9930. Acompanhe o cartaz de divulgação
 
FESTA DE NOSSA SENHORA DO TRABALHO. Participe da festa em homenagem a Nossa Senhora do Trabalho, neste dia 21 de Setembro, na comunidade do bairro Progresso
 

INSTITUCIONAL

 
 
JORNAL L'ATTUALITÀ
Há 14 anos presente na vida dos são-marquenses


A primeira edição do Jornal foi publicada em 11 de setembro de 1997

Em 11 de setembro de 1997, as jovens Roseméri Regina Drago e Elisangela Trevisan, na época, ambas funcionarias do extinto Jornal Cidade, montaram a sociedade e fundaram o novo jornal em São Marcos. A escolha do nome, L’Attualità – que significa atualidade em italiano – buscou homenagear os descendentes de imigrantes italianos, devido à predominância da cultura em São Marcos. Na primeira edição, em 11 de setembro de 1997, entre as matérias, as manchetes foram a Festa dos Motoristas, que traria para o evento as marcas Ipiranga e Pirelli; a rainha da AMSM, Daiane Vanin, e a princesa Briani Bertolazzi, que divulgaram a festa na Exposição Internacional de Animais de Esteio – RS (Expointer); a morte do Dr. Raymundo Pessini (aos 72 anos de idade); os 25 anos de fundação do Grupo de Escoteiros Tabajara; e a morte de pais e filhos, Leovegildo, Francisco e Cristiano Ramos Ribeiro, respectivamente, em um acidente ao longo do bairro Michelon, na BR 116.
           No início, o trabalho era realizado pelas duas proprietárias e mais uma funcionária. Elisangela permaneceu na sociedade até 2000 e, desde então, Roseméri tornou-se a única proprietária, apoiada hoje por mais 6 funcionários. Atualmente, 50% da população são marquense, de um total de 20.537 habitantes, tem acesso direto ao jornal, em casa, no escritório ou empresa, sendo que o L’Attualità também é distribuído em Campestre da Serra e Criúva. Hoje, além das matérias locais, também são publicados artigos de profissionais são-marquenses e anúncios do comércio. São 6 colunistas que escrevem sobre moda, culinária, tradicionalismo, saúde, entre outros assuntos. No Jornal L’Attualità também encontram espaço entidades e escolas de São Marcos que buscam comunicar-se diretamente com a comunidade em que se inserem. “Dentro da realidade de nosso município, que é um universo menor com uma população de 20 mil hab, nós conseguimos implantar uma empresa de comunicação com boa estrutura atendendo aos princípios profissionais e éticos do jornalismo moderno, abandonando o antigo paradigma de empresa de comunicação vinculada a partidos políticos. E que o nosso objetivo é atender as necessidades de nossa comunidade na parte editorial e publicitária, acompanhando o crescimento sócio econômico de nosso município”, destaca a jornalista Roseméri Regina Drago. Na comemoração dos 10 anos de fundação, houve sessão solene na Câmara dos Vereadores de São Marcos, homenagem proposta pela vereadora Aparecida Libardi Boff, que contou com a participação de cerca de 100 pessoas.


Equipe do L'Attualità com escritor L.F. Verissimo em reunião-jantar da CIC

10 anos do Jornal L’Attualità



A Câmara de Vereadores de São Marcos, por iniciativa da vereadora Maria Aparecida Libardi Boff (PMDB), promoveu, no dia 13 de setembro de 2007, sessão solene em homenagem aos 10 anos de fundação do Jornal L’Attualità. Cerca de 100 pessoas participaram da cerimônia, realizada no Auditório Joaquim Grison, anexo ao Centro Administrativo Municipal. Na oportunidade, houve pronunciamento da autora da indicação, dos líderes de bancada Eri Zanela (PP) e Alcides Baticini (PDT), da proprietária do Jornal L’Attualità, a jornalista Roseméri Regina Drago, da jornalista Sabrina Reis e do então prefeito de São Marcos Demétrio Lazzaretti. Durante a solenidade, a vereadora Aparecida entregou a Roseméri uma placa comemorativa à primeira década de existência do Jornal L’Attualità. Prestigiaram a cerimônia autoridades municipais e convidados, entre eles o gerente do departamento de impressão do Jornal Pioneiro, Paulo Motta. Após a homenagem, foi servido coquetel de confraternização a todos os presentes.


Câmara de Vereadores homenageou Jornal no mês de setembro de 2007
 
 
 
Enquete
O L'Attualità quer saber a sua opinião. Em relação ao acordo firmado entre entidades de São Marcos proibindo o buzinaço durante a 43ª Festa dos Motoristas (com excessão da manhã do domingo da Alvorada Festiva), vocë é a favor ou contra?
A favor, concorda com a proibição
Contra, discorda da proibição
Não sabe
 
  Ver votação até agora
  Ver enquetes anteriores
 
Consulados
 
Vídeo Empresarial
NEWBORN DE BIANKA. Assista ao vídeo de ensaio Newborn, divulgado pelo estúdio Mundo Novo Fotografia, da modelo Bianka Hoffmann Castilhos, fotografada com apenas 7 dias de vida
 
E-mails Recebidos
HISTÓRIA / TRADIÇÃO

Como esposa
de motorista, festeira que fui e católica, questiono. O que está acontecendo com a Festa de Nossa Senhora Aparecida e dos Motoristas?

A verdadeira festa continua a mesma. Exemplo: Você faz uma festa de aniversário. Qual é o objetivo? Comemorar o seu aniversário não é? Só que durante a realização desta festa começam a chegar pessoas (povo) que não querem saber do teu aniversário e nem foram convidadas e começam a ESCULHAMBAR com a tua festa. Usam o teu nome para divulgarem a festa que não é deles.

Criticar qualquer instituição é fácil, dar sua opinião também é fácil, falar mal de quem promove a FESTA DE NOSSA SENHORA APARECIDA E DOS MOTORISTAS é muito fácil. Nem todos tem a obrigação de saber a VERDADEIRA história desta festa, mas ler um pouco desta história vai esclarecer dúvidas e ver o seu real significado. Só sabem dizer: o povo não vai, o povo não faz, o povo não participa, mas ai eu pergunto: Quem é o povo? Quem é a Igreja? Quem são os verdadeiros motoristas, motivo desta festa? Por que estão proibindo as buzinas? Quem começou a AVACALHAR com a VERDADEIRA FESTA? Quem idealizou festinhas paralelas dizendo que era a FESTA DOS MOTORISTAS? É certo postar fotos de pilhas de bebidas de álcool e associar a FESTA DOS MOTORISTAS? É certo tu estar indo na procissão no domingo às 6h30 e encontrar o povo ainda na rua bebendo e sem dormir? Isto é uma festa, mas não venham me dizer que dos MOTORISTAS.
E AÍ EU ME PERGUNTO: Quem conseguiu acabar com o verdadeiro sentido desta festa? OS MOTORISTAS? A IGREJA? A AMSM? O PODER PÚBLICO?

Quem não sabe de toda a história desta festa, me poupe, FIQUE CALADO. Esta cidade já teve sua história mudada, por pessoas que se basearam na leitura apenas de uma única ATA. Que o mesmo erro e julgamento não se repita. Que os que avacalham sejam excluídos e não os verdadeiros heróis da estrada e seus familiares.
Enviado por:
Tânia Stedile, funcionária pública estadual
12 de setembro - 16:24
Estou há muito tempo sem contato com vocês, mas não deixo de ler o Jornal. Acompanho pelo Facebook tudo o que acontece na minha cidade. Parabenizo a toda a equipe pelo profissionalismo e qualidade da informação.

Nesta semana ficamos muito comovidos com a morte do Zéio (Madruga). Eu estive aí para prestar a última homenagem a este grande amigo. Desejo muito sucesso e que este veículo continue prestando serviços de valores inestimáveis a nossa sociedade.
Enviado por:
Venâncio Edgar Zulian
09 de setembro - 08:01
São Marcos triste

Na manhã de hoje a notícia nos trouxe tristeza, o passamento do ZÉIO MADRUGA nos move de preocupação. Devemos sempre estar preparados para o infausto, zelarmos pela nossa saúde e também nos preocuparmos com nós mesmos.

Calou-se a voz, a acordeona ou o violão não produz sons agradáveis aos nossos ouvidos.

Lembro-me quando da sua admissão no quadro de colaboradores na Prefeitura Municipal, isto já fazem 25 anos, desempenhava eu as atividades de Prefeito.

Prestativo, colaborador, incentivador, as edições esportivas e recreativas não serão mais as mesmas com a falta do MADRUGA, futebol, Musimarco, Marcoarte, Semana Farroupilha, Filó, Caça-Talentos, Clubes de Idosos, Clubes de Mães, e outros.

Pessoa de família. Iremos ter, sem dúvidas, boas lembranças e sentiremos muito a sua falta, deixando-nos muita saudade. Somos gratos pela sua sempre pronta colaboração.

Aos familiares, meus sentimentos.

Bem que poderíamos ter mais momentos FELIZES em sua companhia.
Enviado por:
Edejaime Cioatto, empresário e ex-prefeito de São Marcos
03 de setembro - 15:47
A saga do ano passado está se repetindo “o atraso nos pagamentos por parte da Prefeitura Municipal”. E novamente os profissionais da área da saúde (fisioterapeutas e fonoaudiólogas) estão com seus vencimentos atrasados. Fato igual aconteceu no mesmo período do ano passado. Os vencimentos chegaram a ficar quase 6 meses em atraso.

As constantes ligações à Secretaria da Fazenda chegavam a ser constrangedoras, porque a resposta era sempre a mesma “não temos previsão”. Recebemos esses vencimentos com atraso sem nenhum acréscimo enquanto nossas despesas sim eram pagas com juros, multas. Tínhamos que manter consultórios e clínicas limpos, organizados, precisávamos de material para atendimento, precisávamos continuar prestando um atendimento de qualidade como sempre foi prestado. Atendemos durante esse período por respeito e amor a nossos pacientes, que precisavam e precisam muito do tratamento devido a complexidade de algumas patologias.

Desculpas de que não havia dinheiro em caixa cansamos de ouvir, e agora ? Onde está o planejamento ? Onde estão os orçamentos? Por que sempre falta dinheiro no meio do ano? Esqueceram que o ano tem 12 e não 6 meses ? Por que ninguém nos dá uma resposta concreta?

E sem falar no número máximo de sessões de fisioterapia por profissional, que a cada ano diminui.
Nós temos um trabalho tão importante como qualquer outra profissão. Trabalhamos com amor, dedicação, sentimentos mas também queremos receber. Temos compromissos para arcar.
Enviado por:
Fisioterapeutas e fonoaudiólogas credenciadas à Secretaria de Saúde de São Marcos
27 de agosto - 20:46
Desde sexta-feira (22) o meu filho (de 12 anos) está com tosse e febre, e fui medicando ele em casa (moramos no bairro Jardim dos Plátanos), mas teve uma hora que não deu mais. Na segunda-feira levei ele no postinho do bairro São José e ele foi atendido pela médica, onde quero ressaltar que fomos muito bem atendidos e espero que continue assim. Lá a médica disse se tratar de uma alergia devido ao clima e que deveríamos começar a tratá-lo com antibióticos, para já prevenir uma pneumonia. Aí, quando era 9h30 da noite, meu esposo (Claudio dos Santos, 34 anos, soldador na Gijon Automotivos) me ligou no colégio em que eu estudo em Caxias do Sul (faço Técnico em Enfermagem) e me disse que meu filho não estava passando bem, estava com 39,5 graus de febre. Lhe foi dado paracetamol e dali uma hora meu marido me ligou e disse que a febre estava baixando. Quando eu cheguei em casa, à meia noite, dei de novo os antibióticos, que são de 6 em 6 horas. Quando era 1h30 da manhã ele estava com 39.8 de febre e daí eu pensei ‘agora não tem mais jeito, tomando antibiótico há 2 dias, junto com o paracetamol, e não está adiantando’. Eu não tenho carro porque eu estou pagando o financiamento da casa (Programa Minha Casa Minha Vida) no momento. Falei ‘vamos ligar pra ambulância’, eu liguei 192, no Samu. Eu não tinha o número da ambulância branca, então liguei no 192 e ninguém atendia, chamou até que caiu a ligação. Eu liguei de novo e eles deveriam atender, me passar um número, mas ninguém atendeu. Depois dava número ocupado, parecia que tinham tirado o telefone do gancho. Então descemos a pé, pedimos ao nosso filho se ele conseguia caminhar. O meu medo era que ele piorasse. Chegamos lá (Centro Municipal de Saúde), tinha 5 ambulâncias que a gente contou, tudo fechado, todas estacionadas. Aí fomos atendidos no Pronto-Socorro do Hospital São João Bosco e eu achei que ele fosse ser internado, mas ele chegou lá sem febre, porque eu tinha dado paracetamol. Fomos atendidos pelo médico Rafael, de Caxias do Sul, plantonista, e ele disse que tinha que cuidar porque podia dar uma pneumonia. Depois que o médico deu o medicamento, eu pedi se ele podia dar uma autorização pra conseguir uma ambulância pra nos levar, porque nós não temos carro e o meu filho não podia sair nesse vento. Daí eu e a secretária do hospital ligamos no número (motorista da ambulância branca da prefeitura), mas ninguém atendeu. Ela me disse ‘acho que você vai ter que ligar pro Samu!’. Aí eu fui lá (no Samu) bati, bati, estava tudo escuro, e ninguém me atendeu. Fui na Secretaria da Saúde pra ver se alguém poderia me dar uma informação e também ninguém saiu, aí eu dei até chute na porta de raiva e ninguém atendeu. Tudo bem que o meu filho não estava passando tão mal, mas se é uma pessoa com um caso mais grave, que está enfartando e precisa de socorro? Eu fiquei em desespero, comecei a chorar, daí peguei e desci pro hospital de novo, fiquei em pânico. Cheguei lá foi meu esposo quem subiu até o Samu, bateu na porta e duas pessoas saíram. Disseram que ouviram alguém bater, mas não entenderam do que se tratava. Então vieram com a ambulância branca até o hospital, que nos levou pra casa, chegamos em casa por volta das 3h45 da manhã. Hoje está sem febre, mas com muita tosse, acho que de tarde vou voltar no hospital, não vou esperar para de noite, porque de dia se precisar posso me deslocar com o ônibus da Vismar. Estou reclamando porque pagamos muitos impostos, e não tanto por mim, mas por outras pessoas, porque imagina se fosse alguém que estivesse com infarto, com convulsão ou outro tipo de problema aquela hora da noite e não ter uma ambulância disponível. Na primeira vez que liguei para o Samu chamou até cair e na segunda vez a princípio estava fora do gancho.
Enviado por:
Elisangela Fernanda de Oliveira dos Santos, 31 anos, metalúrgica na Instaladora São Marcos (Bepo)
27 de agosto - 18:30
Nossa cidade está um caos!

Por diversas ruas que passamos tem buracos, paralelepípedos e muito barro!
Entendo que a Corsan e /ou Prefeitura precisam abrir buracos para arrumar encanamentos, mas acho que deveriam fechá-los logo!
Na frente da garagem da minha residência foi feito um buraco há mais de 4 meses!!! Os paralelepípedos estão jogados e e o tal buraco está cada vez maior, pois como é no topo do morro, a chuva levou todo o cascalho que cobria o buraco.
Acho uma falta de respeito com a população de São Marcos!
No mínimo deveriam tapar os buracos alguns dias depois da obra! Mas já se passaram 4 meses e nada!!! 
Enviado por:
Francieli Grasse, fonoaudióloga
26 de agosto - 08:07


Estou
deveras muito preocupado com o curso das atitudes tomadas pela administração municipal. Acredito que estão prognosticando o futuro que irá registrar os seus preciosos atos. Nada vai ficar registrado pois estão dispensando todo e qualquer registro de obras do Município.

O Laboratório de Análises Clínicas da Secretaria da Saúde de São Marcos foi conseguido com muito empenho de inúmeras pessoas ordeiras de elevado conceito público e social e entregue em dezembro de 1992 pelo então governador do Estado Alceu de Deus Collares (FATO HISTÓRICO) igualmente com o equipamento de RAIO X, tudo o mais moderno existente.

Acontece que, em uma lixeira foi encontrada a placa alusiva a visita de expressivas autoridades, igualmente a placa alusiva a quadra de esportes JOSÉ AUGUSTO PESSINI.

Que vamos dizer de tais atitudes?

É de conhecimento do Prefeito Municipal?

São atos praticados visando o que pretendem do futuro para seus atos?

Há sim necessidade de colocarmos a educação em primeiro lugar urgentemente.

Desculpem o desabafo, se quiserem as placas estão em meu poder, trazidas por pessoas de bem e que pensam que a cultura de um povo se mede pela sua tradição.

Que saudades do Galpão TIO CARLO.

Com estas atitudes não conseguiremos com que o povo e as famílias SEJAM FELIZES.


Enviado por:
Edejaime Cioatto, empresário e ex-prefeito de São Marcos
19 de agosto - 09:58
Veja outros e-mails recebidos
 
Jornal L’Attualità  |  Rua Padre Feijó, 843  |  Sl. 24  |  São Marcos RS  |  Fone: (54) 3291 2200 - 3291 2218  |  jornal@lattualita.com.br  |  Todos os direitos reservados. Copyright 2011.