Encontro de Família   28/10/2017 | 11h44     Atualizado em 30/10/2017 | 10h12

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Família Fontana reúne-se em São Marcos neste domingo (29)

8º Encontro acontece no Salão Paroquial, com mais de 500 pessoas de diversos municípios do Sul do Brasil

Família de Giovanni e Giovanna Fontana na década de 1930
Família de Giovanni e Giovanna Fontana na década de 1930

Os 140 anos da chegada da família Fontana ao Rio Grande do Sul serão celebrados neste domingo (29), em São Marcos. A programação inicia às 8h, com recepção e café da manhã no Salão Paroquial. Às 10h30 haverá missa na Igreja Matriz, celebrada pelo Padre Ricardo Fontana. Pároco em Bento Gonçalves, ele é descendente de Vitório Fontana, que é neto de Giovanni Fontana, um dos primeiros a chegar à Serra gaúcha.

 

Às 12h acontece almoço e durante a confraternização será exibida a árvore genealógica que resgata os ancestrais desta tradicional família da Serra gaúcha, cujos membros estão espalhados por diversos municípios do sul do Brasil, também presentes em Estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, onde chegaram os primeiros imigrantes, por volta de 1875.

Brasão da família Fontana
Brasão da família Fontana

No Rio Grande do Sul, os primeiros Fontana chegaram em 1877. Na Serra, uma das principais ramificações da família é descendente de Giovanni Battista Fontana e sua esposa Francesca Cemin. O casal era de Siror, Trento, região situada no norte da Itália e que na época pertencia ao império austro-húngaro.

 

Giovani Battista Fontana chegou ao país com 49 anos e sua esposa Francesca tinha 41. Eles vieram com seus nove filhos - Virginia, 22 anos; Domenico, 19; os gêmeos Battista e Battista Segundo, 18; Antonio, 16; Lucia, 13; Pietro, 10; Michele, seis; e Giacomo, quatro anos - e se estabeleceram no Travessão Garibaldi, Colônia Nova Trento, atual município de Flores da Cunha.

Excursão de Criciúma traz 42 Fontana a São Marcos: ’Oportunidade para conhecer a história e valorizar a família’

Pietro Fontana e Catherina Motz, imigrantes da Itália em 1877
Pietro Fontana e Catherina Motz, imigrantes da Itália em 1877

O 8º Encontro da Família Fontana está sendo organizado pelos casais José Luis e Nelse Fontana Michelon; Jules e Ilda Marteninghi Fontana; Darci e Solange Fontana Reis; Fábio e Simone Fontana Baticini; Jadir e Eliane Fontana Chemello. Também atuam Fabrício Fontana Michelon, Vera Fontana Zaniol e Graziela Fontana Rizzon.

 

- Já temos confirmadas as presenças de aproximadamente 520 pessoas. Elas vêm de diversas cidades da Serra, como Garibaldi, Flores da Cunha, Campestre, Caxias do Sul, Antônio Prado, Vacaria, Bento Gonçalves e outras. Também virão pessoas de Passo Fundo, Porto Alegre, Lageado, Encantado e de municípios catarinenses como Lages e Florianópolis. E, ainda, contaremos com a presença de membros da família que residem no Paraná. Só de Criciúma virá uma excursão com 42 pessoas - revela Nelse Fontana Michelon. 

 

Fabrício Fontana Michelon lembra que, desde 2004, sete encontros familiares já foram realizados no Rio Grande do Sul. As reuniões ocorreram nos municípios de Garibaldi, Progresso, Boqueirão do Leão, Treze de Maio e Flores da Cunha, onde ocorreu o 7º Encontro, em 2015.

 

- Esses Encontros foram organizados com o objetivo de promover a integração entre as diversas gerações. É muito bom se reunir, tem muita gente de fora e essa é uma oportunidade de confraternizar e rever os parentes. É um dos poucos momentos na vida que acontece isso. Os mais novos perdem um pouco o contato e essa é uma oportunidade de se conhecer a história e valorizar a família - destaca Fabrício. 

 

Conforme informações da família, o sobrenome Fontana (fonte) é encontrado em várias regiões da Itália, sobretudo no norte do país, nas regiões da província de Trento, do Vêneto e da Lombardia.