Segurança   31/10/2017 | 09h44     Atualizado em 31/10/2017 | 10h24

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Alvo fácil de bandidos: ônibus de São Marcos é assaltado pela 2ª vez em 2017

Nesta segunda-feira (30), bandidos embarcaram em ônibus do Expresso São Marcos e anunciaram assalto, levando celulares das vítimas. Ônibus saiu da rodoviária de Caxias às 20h15

textos

Na noite desta segunda-feira, 30 de outubro, assaltantes tiveram como alvo um ônibus da Expresso São Marcos mais uma vez. Ações semelhantes já se repetiram algumas vezes, uma delas 1 ano atrás (no dia 31 de outubro de 2016) e outra há pouco mais de três meses (no dia 11 de julho de 2017). A partir das ocorrências, a empresa de transporte tomou algumas atitudes preventivas, mas elas não foram suficientes para inibir os bandidos mais uma vez. Nesta segunda, o ônibus em questão saiu da rodoviária de Caxias do Sul em direção a São Marcos às 20h15 e, como de costume, neste horário também recolhe passageiros nas demais paradas no trajeto pela BR 116, entrando, inclusive, na Universidade de Caxias do Sul, onde embarcam vários estudantes. O ônibus estava com 21 passageiros, o suficiente para que os bandidos recolhessem muitos celulares das vítimas.

 

De acordo com informações apuradas pelo L’Attualità, os assaltantes embarcaram logo depois do posto da Polícia Rodoviária Federal, na BR 116, e anunciaram o assalto logo depois da empresa Agrale, desembarcando próximo à empresa Tomé, assim como no assalto registrado em julho. O L’Attualità conversou com uma estudante que embarcou no ônibus na UCS e foi vítima do assalto. Ela relatou que viu quando os assaltantes entraram, mas não levantaram suspeitas no início. "Eles estavam de cara limpa, de boné. Guardei bem o rosto de um deles, porque, quando ele entrou no ônibus, entrou rindo discretamente, achei estranho porque não vi ninguém com ele e não era alguém conhecido. Mas não dei bola", contou a estudante, que teve seu celular levado pelos bandidos. Ela revela que um deles sentou ao lado de outro homem, que desconfiou da atitude. "Ele estranhou o cara, só disse que sentiu coisa ruim. Ele estava com o banco deitado, e o bandido não, então tentava olhar pra trás para avisar o meu amigo, mas não tinha como a gente ver", lembra.

 

De acordo com a estudante, um dos assaltantes sentou no banco à sua esquerda do outro lado do corredor e quando anunciaram o assalto (alguns minutos depois de terem embarcado), ela foi a primeira vítima. "Quando eu vi só tinha um cara gritando na frente e o outro me mostrando a mochila aberta. Fiquei sem entender na hora e ele falou ’Passa o celular’. E eu estava com ele na mão, e joguei dentro da mochila dele. Depois ele foi para os bancos de trás, que provavelmente estavam com o celular à vista também. Depois ele voltou, mostrando o canivete e pediu para o meu amigo, mas ele disse que não tinha. Eles só queriam celular mesmo, não pediram carteira, mais nada", relata.

 

Ainda de acordo com a vítima, o outro assaltante estava armado na frente do ônibus, junto com o motorista. "O de trás estava mais tranquilo, não ameaçou, só mostrou o canivete. Mas o da frente disseram que estava muito mais alterado e estava com arma, ele só falava para acelerar e ameaçou o motorista algumas vezes. Eles fizeram tudo muito rápido", revela, contando mais alguns detalhes. "Quando eles desceram, falaram para ninguém ficar olhando, para abaixar a cabeça e o motorista meter o pé e não parar. Daí eles saíram", lembra a estudante. Os passageiros que foram vítimas do assalto foram orientados pela empresa a registrar ocorrência na Delegacia de Polícia Civil de São Marcos, para possível recuperação dos pertences.

 

Terceiro assalto ao Expresso em dois anos

O diretor do Expresso São Marcos, Fabrício Michelin, lamenta a ocorrência de mais um assalto, mas afirma que desde o primeiro  registro a empresa já havia tomado medidas para prevenir este tipo de ação. "A gente tem recolhido todas as passagens na UCS e olhamos todos os passageiros. Vamos intensificar a segurança de novo. Desde o ano passado eles têm atacado esses ônibus das 20h15 e 21h15, e umas duas vezes por semana nosso ônibus para na Polícia Rodoviária para revistar", conta Fabrício. Ele informa que irá se reunir com a Metroplan para traçar novas estratégias. "Vamos conversar com a Metroplan para ver, temos de fazer alguma coisa, infelizmente iremos deixar os passageiros empenhados na estrada, mas temos de fazer algo. Vamos ver algum procedimento que a Metroplan autorize, porque se não recolhemos todos os passageiros somos multados, é bem delicado", observa o empresário.

 

A Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional  (Metroplan) é o órgão responsável pela elaboração e coordenação de planos, programas e projetos do desenvolvimento regional e urbano do Estado do Rio Grande do Sul. Inclusive a atribuição de planejamento, de coordenação, de fiscalização e de gestão do Sistema Estadual de Transporte Metropolitano Coletivo de Passageiros, conferida pela lei Estadual 11.127, de 9 de fevereiro de 1998.