Música   21/11/2017 | 10h01     Atualizado em 21/11/2017 | 14h12

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Festival Brasileiro de Música de Rua embalou tarde de domingo (19) em São Marcos

Neste domingo (19), mais de 2 mil pessoas prestigiaram a música, gastronomia, artesanato e diversão que invadiram a Praça Dante Marcucci, em São Marcos, no Festival Brasileiro de Música de Rua. 5 atrações musicais se apresentaram na Concha Acústica

Festival teve shows da banda Salve Jurema e o rapper Kelvin Gomes, de São Marcos
Festival teve shows da banda Salve Jurema e o rapper Kelvin Gomes, de São Marcos

 Neste domingo, 19 de novembro, São Marcos recebeu a etapa regional do Festival Brasileiro de Música de Rua. Há 6 anos propagando a cultura em espaços públicos de municípios gaúchos, chegou a vez do evento movimentar a plateia são-marquense com diversidade musical e outras atrações, como artesanato, gastronomia e atividades para as crianças também. O evento iniciou a partir das 14 horas, na Praça Dante Marcucci, e teve presença de artesãos locais e de outros municípios expondo suas produções, dois food trucks, cervejas artesanais da cervejaria são-marquense Mustacchi, brinquedos infláveis e os shows. O palco da Concha Acústica contou com duas atrações musicais de São Marcos: a banda Salve Jurema e o rapper Kelvin Gomes, que se apresentou com o caxiense Chiquinhho Divilas. Além deles, se apresentaram os músicos Márcia Luz, Duo Valdir Verona e Rafael De Boni e DJ Muzak.

 

A diretora municipal de Cultura e Turismo, Géssica Gozzi, estima que mais de 2 mil pessoas passaram pela Praça Dante Marcucci durante a tarde de domingo (19). "Nós estimamos que entre as 16h e 17h, que foi o auge da programação, teve em torno de 2 mil pessoas ou mais. Teve bastante público durante a tarde inteira, mas não temos como precisar. Foi excelente, o dia colaborou também, tinha gente até umas 19 horas", comenta Géssica. Ela revela que até mesmo os organizadores do Festival Brasileiro de Música de Rua, da Guerrilha Produções, elogiaram o resultado do evento em São Marcos. "Foi muito melhor que o esperado. Um município não quis receber o Festival, e por isso o nosso interesse em receber foi atendido. E os organizadores ficaram muito felizes com o espaço, o público. O Luciano Balen, que é o organizador, disse que esse festival tem que ir para onde as pessoas nos querem, e eles perceberam que São Marcos quer, então vão voltar", revela a diretora.

Além de música, artesanato, brinquedos infláveis e food trucks foram atrações
Além de música, artesanato, brinquedos infláveis e food trucks foram atrações

A prefeitura de São Marcos já manifestou interesse em participar do Festival nos próximos anos, já que não há custos para o município. "Esse projeto é vinculado ao governo do Estado, via lei estadual. Então o município fica responsável pelo espaço e ajustes na organização, mas não se tem custos maiores", explica Géssica Gozzi. Ela lembra que desta vez o evento contou com o patrocínio da Speakeasy Escola de Idiomas, para auxiliar os produtores em demais custos. "Foi um ajuste que a escola fez junto com a organização do evento, eles que manifestaram interesse em colaborar, porque o festival tem outros custos de alimentação, deslocamento. Então eles trataram diretamente com os organizadores", pontua.