Empresas   01/02/2018 | 12h39     Atualizado em 01/02/2018 | 15h02

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Empresas: energia solar fotovoltaica avança e conquista mais clientes em São Marcos

Orçamento é feito com base na conta de energia de cada residência e investimento se paga entre 5 e 8 anos. Eletro NA de São Marcos executa todas as etapas do processo, oferecendo venda, instalação, assistência e pós-venda dentro do próprio município

Em São Marcos famílias começam a investir na energia solar: residência atendida pela Eletro NA
Em São Marcos famílias começam a investir na energia solar: residência atendida pela Eletro NA

A energia solar fotovoltaica está conquistando mais adeptos em São Marcos. Umas das responsáveis pelo avanço da nova tecnologia é a empresa Eletro NA - dos eletricistas Alex Fernando Cioato e Nadir Campos - que atua no município desde outubro de 2015, disponibilizando venda, instalação, assistência e pós-venda, atendendo os clientes do início ao fim do processo de colocação das placas e funcionamento do sistema que gera eletricidade a partir do sol. "Percebemos que a energia fotovoltaica estava muito parada em São Marcos na comparação com outros municípios da região. Muito pela falta de informação, um pouco pelo custo e também devido à parte do processo ser feita por profissionais de fora do município. O nosso diferencial é que fornecemos todo o serviço necessário dentro de São Marcos. Tudo, desde a venda e a instalação até a assistência e o pós-venda, somos nós que realizamos sem a dependência de terceiros, o que garante maior segurança e satisfação por parte dos clientes", assinala Nadir, que é eletricista e técnico em metalurgia na área de indústria. Alex - que é técnico em automação industrial, tendo trabalhado por 12 anos na RGE - salienta que antes de abrir a empresa houve período de estudo. "Estudamos mais de 4 anos antes de nos lançarmos nesse mercado e fomos nos aperfeiçoando para atender tudo que o cliente precise. E instalamos pessoalmente para dar mais qualidade e segurança", ressalta Alex. Mais informações sobre a EletroNA podem ser esclarecidas através dos telefones: (54) 9 91503022 com Alex ou (54) 9 99884977 e 9 92392413, com Nadir.

 

A Eletro N.A, que além de São Marcos atua em Campestre da Serra e região, também trabalha com instalação e manutenção elétrica; portões eletrônicos; interfones e videoporteiros; câmeras de segurança; alarmes e automação residencial. "Mas um de nossos principais focos é mesmo a energia solar fotovoltaica, porque é um mercado em expansão no mundo todo e ainda pouco desenvolvido em São Marcos", aponta Nadir. Ele destaca que no Brasil a energia solar é ainda incipiente. "No Brasil a fatia de consumidores atendidos pela energia solar representa 0,6%. Mas nos próximos 8 anos a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) estima que este percentual vai avançar para 10%. Então é um mercado excelente para trabalhar", pondera, lembrando que na Alemanha (país onde as placas fotovoltaicas são instaladas a mais de meio século) a energia solar corresponde a mais de 30%.

Orçamento é feito com base na conta de luz e investimento médio para residência gira em torno de R$ 14 mil

Investimento se paga entre 5 a 8 anos e garantia do sistema é de 25 anos
Investimento se paga entre 5 a 8 anos e garantia do sistema é de 25 anos

Desde 2017, Alex e Nadir vem instalando o sistema de geração de energia fotovoltaica em residências são-marquenses. "Os clientes estão satisfeitos", asseguram. Eles calculam que o custo para instalar um sistema de energia solar fotovoltaica gira em torno de R$ 14 mil para uma residência de quatro pessoas. "Estimamos esse preço e calculamos que numa casa com uma conta de luz em torno de R$ 150 por mês a instalação do sistema se pague próximo de 5 anos", observa Nadir.

 

 Ele explica que a Eletro N.A faz orçamento residencial, comercial e industrial "sem custo e sem compromisso" para que o cliente calcule o custo-benefício e saiba se vale a pena investir. "Pegamos a conta de luz do cliente e fizemos o orçamento. Se concluirmos que o valor vai se pagar em até oito anos, consideramos o investimento como ótimo, porque oito anos é o prazo médio de garantia dos produtos. Caso se pagar entre 8 e 10 anos consideramos razoável. E acima de 10 anos não seria aconselhável instalar o sistema fotovoltaico, a não ser que o cliente tenha outro interesse ou finalidade, como uma empresa que necessite de algum tipo de selo verde ou fazer marketing", aponta, revelando que na maioria dos orçamentos o sistema se paga do quinto ao oitavo ano, dentro do tempo de garantia dos equipamentos. "As placas têm garantia de 10 anos e os inversores têm 5 anos. Mas há lei determinando que os fabricantes de placas solares garantam eficiência de 80% do sistema por 25 anos", salienta Nadir.

Eletro Na trabalha com a marca WEG, líder mundial em geração de energia, sediada em Santa Catarina

Nadir e Alex, da Eletro NA, durante treinamento na WEG, Jaraguá do Sul (SC), em 2017
Nadir e Alex, da Eletro NA, durante treinamento na WEG, Jaraguá do Sul (SC), em 2017

Foto: divulgação

Ao mesmo tempo em que faz todo o serviço necessário para a instalação e funcionamento do sistema de energia solar fotovoltaica, atuando na venda, instalação e assistência, a Eletro N.A procura trabalhar com as melhores marcas do segmento. "A política da nossa empresa é trabalhar com o que tem de melhor em cada setor. Por exemplo, na parte de instalação de interfones e alarmes trabalhamos com Intelbrás, marca reconhecida. Já nos portões eletrônicos trabalhamos com a Celtron, de Caxias, que hoje é o que tem de melhor. E no caso da energia solar fotovoltaica fechamos parceria com a WEG, multinacional brasileira de Jaraguá do Sul (SC), que é uma das maiores em produção, geração e transformação de energia do mundo, atuando em países como China, Índia, Portugal, Argentina e México", cita Nadir.

 

Alex destaca que a empresa catarinense existe há mais de 57 anos e é "campeã de geração de energia" em todos os segmentos: eólica, solar, hidrelétrica e por combustão. "Tivemos propostas para trabalhar com várias marcas, mas optamos pela WEG por ser daqui e estar próxima. As placas são importadas, mas com garantia deles", observam Nadir e Alex, que fizeram curso na empresa em dezembro de 2017.

Energia excedente pode ser trocada por créditos: sistema Off Grid tem uso na agricultura

Os profissionais da Eletro NA explicam que a energia excedente gerada pode ser trocada por créditos. "Existem dois tipos básicos de sistemas fotovoltaicos: os conectados à rede da concessionária (On Grid) e os isolados (Off Grid). O On Grid produz energia e cria crédito, podendo utilizar em outro imóvel de propriedade do mesmo cliente que seja atendido pela mesma concessionária (no nosso caso, a RGE)", explica Nadir Campos. Ele destaca que no sistema Off Grid a energia fotovoltaica não está ligada à rede. "Esse sistema serve para quem quer puxar uma rede elétrica numa lavoura. Daí montamos o sistema com motores e levamos a energia até o local com o sistema fotovoltaico", exemplifica Alex.