32º Rodeio Crioulo Internacional de Vaca   05/02/2018 | 16h22     Atualizado em 07/02/2018 | 09h04

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Conquista histórica: laçadores Alan Ferraz e Lucas Vanaz são campeões no Rodeio de Vacaria e dividem carros na premiação

Laçadores do Piquete Rodeio dos Teatinos venceram na Força A e na Taça RBS da "Copa do Mundo dos Rodeios", que teve 7,3 mil competidores nas provas de laço

Alan e Lucas (que laçam pelo Piquete Rodeio dos Teatinos) ficaram entre os quatro primeiros da Força A
Alan e Lucas (que laçam pelo Piquete Rodeio dos Teatinos) ficaram entre os quatro primeiros da Força A

Foto: arquivo pessoal

São Marcos ficou registrado na história do 32º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria. Os laçadores Alan Ferraz, 23 anos e Lucas Vanaz, 26, foram campeões nas principais modalidades de laço (Força Alta e Taça RBS) da festa gaúcha, que reuniu 7,5 mil competidores nas provas campeiras, sendo 7,3 mil nas diversas modalidades de laço, realizadas entre 27 de janeiro e esse último domingo, 4 de fevereiro, no Parque Nicanor Kramer da Luz. "O Alan e Lucas (que laçam pelo Piquete Rodeio dos Teatinos) ficaram entre os quatro primeiros da Força A e entre os 3 da Taça RBS. Com isso eles dividiram um carro e uma caminhonete", comemora o pai de Alan, o domador de cavalos e patrão do 10º Rodeio de São Marcos, Garibaldi Ferraz.

 

Os laçadores, que acumulam vitórias e prêmios em diversos rodeios e torneios, venceram pela primeira vez em Vacaria. "Lá só tem os melhores. É a Copa do Mundo dos Rodeios", destaca o jovem, que mora no campo e trabalha no Centro de Treinamento Garibaldi Ferraz (antiga Cabanha Santa Cecília). Os laçadores contam que as provas "vararam a madrugada". "Foram 45 voltas. Fomos dormir às 5h de domingo e às 9h já estavam nos chamando para retornar", assinalou. Eles destacaram o alto nível dos competidores e salientaram que as provas reuniram mais de 625 duplas na Força A e em torno de 600 na Taça RBS.

 

Estudante de Agrononima, Alan laçou montado no acavalo crioulo Basco Platano. Lucas, que reside em Criúva e trabalha na Fazenda Ivernada dos Bois, nos Palanquinhos, de propriedade de José Alcione Vachi, laçou montado em seu cavalo Rótulo do Infinito. "Temos que ser gratos aos nossos cavalos, porque sem eles não se faz nada", comentaram.

Guaiaca cheia: conquistas renderam R$ 20 mil aos laçadores são-marquenses, única dupla que venceu na Força A e na Taça RBS

Lucas e Alan também dividiram valor de Gol com mais duas duplas finalistas
Lucas e Alan também dividiram valor de Gol com mais duas duplas finalistas

Foto: arquivo pessoal

Os são-marquenses voltaram de Vacaria com a "guaiaca cheia". "O carro (VW Gol avaliado em R$ 30 mil) nós dividimos em 3 e a caminhonete (VW Amarok avaliada em R$ 100 mil) em quatro. Deu uns R$ 20 mil para cada um", revelaram. Eles disseram que gastaram em torno de R$ 2,5 mil cada um ao longo dos dez dias que ficaram acampados em Vacaria. "A inscrição custou R$ 1,2 mil a dupla na Força A e R$ 600 na RBS", informou.

 

Alan e Lucas competiram em Vacaria com apoio de empresários são-marquenses. A dupla, que laça há oito anos, teve apoio de Valderez Rodrigues, da Cabanha Única. "Ele pagou nossa inscrição", contam os laçadores, que já haviam sido campeões no 10 º Rodeio Nacional de São Marcos (de 7 a 10 de dezembro de 2017), onde Valderez atuou como coordenador campeiro. Lucas também cita o apoio do empresário Alcides Gardelin, do Posto Nova Era, que o auxiliou nas despesas.

 

A dupla de São Marcos foi a única que venceu nas duas modalidades de laço (Força A e Taça RBS), as mais qualificadas do Rodeio Internacional de Vacaria, que contou com competidores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Rondônia, Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Bahia e Pará. Com público de aproximadamente 280 mil pessoas e mais de mil acampamentos, a 32ª edição do rodeio foi a maior já realizada em Vacaria.