Febre amarela   07/03/2018 | 11h00     Atualizado em 07/03/2018 | 12h30

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Febre amarela em São Marcos: vacinação gratuita em todas as unidades de saúde

São Marcos não possui casos suspeitos de febre amarela, mas é permanente a recomendação para vacinação, que acontece em todas as unidades de saúde durante o ano. Vigilância em Saúde informa que é necessária somente uma dose da vacina ao longo da vida

Vacina é indicada para crianças a partir de 9 anos e adultos até 59 anos
Vacina é indicada para crianças a partir de 9 anos e adultos até 59 anos

Foto: divulgada na internet

Em 2017 o Brasil enfrentou o maior surto de febre amarela das últimas décadas. De julho de 2017 ao dia 16 de fevereiro de 2018 foram notificados 1.628 casos suspeitos, sendo 464 confirmados (destes, 154 foram a óbito), 684 já descartados e outros 478 que seguem em investigação. Devido a este número, o Rio Grande do Sul também fica em alerta, mesmo que haja apenas um caso confirmado como importado neste mesmo período. De acordo com nota enviada pela Vigilância em Saúde de São Marcos, até o dia 5 de março o município não possuía nenhum caso suspeito ou confirmado de febre amarela, porém os cuidados locais também são importantes.

Com o objetivo de manter São Marcos sem casos da doença e proteger moradores que se deslocam para outros Estados, a Secretaria Municipal de Saúde oferece vacinação gratuita contra o vírus em todos as unidades de saúde durante todo o ano. Na terça-feira as vacinas são feitas na ESF Nicoletti (das 7h30 às 11h30, das 13h30 às 15h30 e das 17h30 às 19h30) e na ESF São José (das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 19h30); nas quarta-feiras a vacinação acontece na ESF Doncatto (7h30 às 11h30, das 13h30 às 15h30 e das 17h30 às 19h30); e na quinta-feira as equipes de saúde atuam no posto central (das 8h às 12h e das 13h30 às 19h) e em Pedras Brancas (das 7h45 às 11h45 e das 12h45 às 16h20). Durante todo ano de 2017 até o dia 27 de fevereiro de 2018 foram vacinadas no município 743 pessoas. 

A vacina é indicada para crianças a partir de 9 anos e adultos até 59 anos. Idosos a partir de 60 anos e portadores de doenças crônicas devem consultar um médico antes de receberem vacinação. Há contraindicações para gestantes, lactantes, crianças menores de 9 meses, alérgicos a componentes da vacina, portadores de doenças autoimunes, pacientes com câncer e em uso de quimioterapia ou radioterapia e doenças hematológicas. Para receber a vacina é necessário apresentar carteira de vacinação e ficar atento às indicações e restrições.

Apenas uma dose da vacina garante imunização

A febre amarela é uma doença viral transmitida aos macacos e seres humanos por mosquitos, que, por circularem nas matas, atingem primeiro os macacos (bugios). Os casos que ocorrem no Brasil são de febre amarela silvestre, não existindo desde 1942 casos de febre amarela urbana, que é transmitida pelo Aedes aegypti. A doença se manifesta no organismo com insuficiência hepática e renal, febre, calafrios, dor de cabeça e outros sintomas ainda. Após esse período geralmente ocorre declínio da temperatura e diminuição dos sintomas, provocando uma sensação de melhora no paciente, porém em questão de horas o quadro clínico pode agravar, podendo evoluir para o coma e a morte.

Em nota, a Vigilância em Saúde de São Marcos ressaltou que é necessário comprovar apenas uma dose da vacina ao longo da vida, não sendo mais necessário receber duas doses ou reforço a cada 10 anos como era recomendado anteriormente. "No Rio Grande do Sul, a dose da vacina contra a febre amarela é ’inteira’, isto é, 0,5ml pela via subcutânea. Não é fracionada como em alguns Estados brasileiros", explica. Após aplicação da vacina, o sistema imunológico demora em torno de 10 dias para criar anticorpos, por isso, mesmo com a vacina, as recomendações são para o uso de repelentes e mangas longas e colocação de telas nas janelas.