Dengue   02/04/2018 | 11h24     Atualizado em 02/04/2018 | 11h29

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Vigilância em Saúde localiza larvas do mosquito da dengue em São Marcos

Larvas do mosquito da dengue foram localizadas em armadilhas instaladas no Centro e bairro Industrial. Vigilância em Saúde alerta população sobre medidas de prevenção

Mosquito Aedes aegypti é transmissor de dengue, zika e chikungunya
Mosquito Aedes aegypti é transmissor de dengue, zika e chikungunya
Foto: apenas ilustrativa

São Marcos deve ficar em alerta para a incidência de mosquito da dengue! A Vigilância em Saúde do município confirmou a existência larvas do mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue, zika e chikungunya. Neste mês de março (cerca de um ano depois da última amostra de larvas encontrada), durante as ações de rotina, a equipe de Vigilância localizou larvas do inseto em armadilhas confeccionadas pelos próprios agentes de saúde. Estes sistemas são desenvolvidos justamente com o objetivo de proporcionar um ambiente favorável para o criadouro do mosquito, podendo intervir o mais rápido possível no controle das larvas.

A primeira amostra de larvas foi localizada no dia 14 de março, na Rua dos Motoristas, nº 40, no centro de São Marcos. E a segunda amostra foi coletada no dia 21, na BR 116, Km 114, nº 1223, no bairro Industrial. As larvas foram enviadas ao Lacen/RS (Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul), que confirmou serem focos do Aedes aegypti. De acordo com nota divulgada pela Vigilância em Saúde no dia 29 de março, após identificação das larvas, a equipe realiza trabalhos de vistoria em um raio de 300 metros dos locais do foco para verificar a existência de outros focos nas proximidades.

Em nota, a enfermeira Bruna Gonçalves destaca a importância da colaboração da comunidade no controle destes insetos. "Tendo em vista a importância de controlarmos esse foco, pedimos a colaboração de todos para que nos permitam vistoriar suas propriedades. A equipe de campo é composta por três agentes os quais se identificam com coletes e crachás", destaca. Além disso, é preciso que a população siga as orientações de prevenção, não deixando água parada ou nada que possa servir de criadouro para o mosquito.

A Vigilância em Saúde de São Marcos continua com as ações de enfrentamento, com armadilhas, pontos estratégicos e verificação de denúncias. Há outras 34 armadilhas instaladas em diversos pontos da cidade, que são monitoradas semanalmente. Elas são formadas por um pneu cortado ao meio com certa quantia de água parada em seu interior. Em caso de dúvidas ou denúncias, a população pode entrar em contato com a Vigilância pelo telefone (54) 3291 6426 ou diretamente na Secretaria de Saúde (2º andar, sala 37, das 8 às 12h e das 13h30 às 17h30).