Animais no Hospital   04/04/2018 | 08h02     Atualizado em 04/04/2018 | 09h18

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Vereadores de São Marcos rejeitam proposta sobre entrada de animais em hospital

Projeto que regularizava entrada de animais de estimação no Hospital São João Bosco foi reprovado por 7x1. Líderes das bancadas explicam porque decisão não cabe à Câmara de Vereadores

Vereadores do PP e PMDB votaram contra a aprovação da lei, apenas PSB foi favorável
Vereadores do PP e PMDB votaram contra a aprovação da lei, apenas PSB foi favorável
Foto: divulgação Câmara de Vereadores/Raiane Martinighi

Os vereadores de São Marcos não aprovaram o Projeto de Lei que regularizava a entrada de animais de estimação no Hospital São João Bosco para visitar pacientes internados. A matéria 05/2018 - de autoria da presidenta da Câmara, Patrícia Camassola Tomé (MDB) - esteve na Ordem do Dia da sessão desta segunda-feira, 2 de abril, e foi reprovada por 7 votos a 1. Além dos vereadores progressistas (Genilson Marcon, Fabrício Michelon, Luci Casarotto e Silvaninha), também os emedebistas (Fúlvio Pessini, César Scodro e Ivana Miotto) se posicionaram contrários ao tema e só o vereador do PSB José Airton Muller votou a favor (a presidente da Câmara e autora do projeto não votou porque não foi necessário o desempate). O líder da bancada do MDB no Legislativo, Fúlvio Pessini, explicou ao L’Attualità porque se posicionou contra o projeto de sua correligionária. "Esse tipo de legislação não deve passar pela Câmara de Vereadores, que não deve interferir numa questão privada do hospital. Então esse assunto deve ser uma decisão administrativa de parte do Hospital e não imposto por lei. Não sou contra a ideia, que é muito positiva, mas sou contra a imposição por lei", ressaltou, salientando que seria interessante debater melhor a questão. "Com regramento e local apropriado não vejo problema em animais de estimação visitarem pacientes internados", ressaltou.

A justificativa do líder da bancada do PP na Câmara, Genilson Marcon, é semelhante. "Acredito que esse projeto precisa ser mais discutido. Se o hospital quiser autorizar a entrada não precisa lei autorizando. Mas meu entendimento é que, enquanto uma criança menor de 14 anos não pode entrar para visitar seu familiar, liberar os animais fica complicado", apontou. Segundo Genilson, uma vez que a fiscalização sanitária do Hospital é feita pela 5ª Coordenadoria Regional, caberia ao Estado fazer esse tipo de legislação. Ele lembrou que o diretor do São João Bosco, Rogério Soldatelli, disse que a entrada de animais de estimação em hospitais (Pet Terapia) é uma tendência. "Mas tem que ser bem regrado", alertou.

No projeto confeccionado pela vereadora Patrícia Camassola havia série de regras para que animais de estimação (cães, gatos, pássaros e demais espécies) pudessem ingressar no São João Bosco. Uma das principais determinações é de que o animal só poderia entrar mediante autorização do médico, de acordo com o quadro clínico do paciente, conforme artigo 1º do projeto. O artigo 2º estipulava que a visita deveria ser previamente agendada junto à direção do Hospital, respeitados os critérios estabelecidos pela entidade e observando os dispositivos da lei. Conforme os incisos 1º e 2º, o animal deveria entrar acompanhado por familiar ou responsável do internado, sendo transportado em caixa apropriada, exceto cães de grande porte.

Outra regra era que os animais precisariam possuir laudo veterinário comprovando seu estado de saúde para poderem ingressar no Hospital. "Ao fazer o projeto procuramos cuidar de todos os detalhes, desde o transporte e as áreas do hospital em que o animal não pode estar. Porque há pessoas que gostam e outras não; e o ambiente hospitalar é um local que precisa de cuidado com a questão da higiene", salientou Patrícia, lembrando que a entrada dos animais estaria sujeita às regras da Organização Mundial de Saúde (OMS). Também os locais do Hospital onde seria proibido o animal circular estavam previstos no projeto e entre eles constavam os setores de quimioterapia, transplante, UTI, farmácia e cozinha.

Hospital Geral de Caxias iniciou projeto ’Visita dos Amigos Pet’ para pacientes em fase final de vida e de psiquiatria infantojuvenil

Cães passam por avaliação médica e entram acompanhados por profissional do hospital
Cães passam por avaliação médica e entram acompanhados por profissional do hospital
Foto: apenas ilustrativa

A reprovação do projeto em São Marcos aconteceu no mesmo dia em que o Hospital Geral de Caxias do Sul iniciou o  projeto "Visita dos amigos Pets". A ação é voltada a pacientes em fase final de vida e da psiquiatria infantojuvenil. O objetivo da iniciativa, segundo o HG, é aproximar os pacientes internados de seus animais de estimação. A ação é voltada para pacientes em sua fase final de vida, e também aos da psiquiatria infantojuvenil.

Para o paciente participar do projeto, a família deverá registrar o desejo da visita por meio da ouvidoria do Hospital. Os casos serão avaliados pela equipe médica e pelo serviço de controle de infecção hospitalar e, após aprovação da equipe, a visita é agendada conforme a condição clínica do paciente, sempre com o acompanhamento de um funcionário da Instituição. O projeto já é aplicado em diversos hospitais de referência pelo país, tais como: Hospital Albert Einstein, Hospital de Clínicas POA e Hospital Santa Casa de Curitiba.