Saúde pública   07/05/2018 | 11h13     Atualizado em 07/05/2018 | 12h03

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Prefeitura de São Marcos e Hospital São João Bosco entram em acordo: `Voltou a ser como era´

Na última semana, prefeitura de São Marcos e Hospital São João Bosco revelaram desavenças à comunidade, mas reunião na sexta-feira (4) acalmou ânimos e entidades mantiveram contrato: ´Essa conversa tinha que ter acontecido uns 60 dias atrás´

Depois de reunião polêmica em 30 de abril, prefeito e Rogério Soldatelli se encontraram dia 4 de maio
Depois de reunião polêmica em 30 de abril, prefeito e Rogério Soldatelli se encontraram dia 4 de maio
Foto: Jornal L’Attualità

Após polêmica iniciada em reunião no dia 30 de abril, sobre possível término de contrato entre a prefeitura de São Marcos e o Hospital São João Bosco para atendimentos de saúde encaminhados pela Secretaria Municipal de Saúde, o prefeito Evandro Kuwer (MDB) anunciou ao L’Attualità na manhã desta segunda-feira (7) que as entidades chegaram a acordo. A diretoria do Hospital teria enviado ofício comunicando interesse em encerrar o contrato em 17 de junho, mas a reunião no dia 30 de abril apenas ressaltou outras divergências existentes desde 2017, principalmente após contratação de auditor por parte da Secretaria Municipal de Saúde. Para resolver os impasses, nova reunião aconteceu na manhã e na tarde de 4 de maio, sexta-feira, quando finalmente prefeitura e Hospital entraram em acordo. Segundo Kuwer, ele conversou diretamente com Rogério Soldatelli, diretor do HSJB, e as questões foram amenizadas. "Voltou a ser tudo como era. Eu e o Rogério conversamos sobre alguns pontos que não estavam batendo e a princípio ficou tudo certo. Essa conversa tinha que ter acontecido uns 60 dias atrás para não deixar chegar no ponto que chegou", reconhece o prefeito de São Marcos, Evandro Kuwer.

Conforme ressalta, assuntos como internações hospitalares, cirurgias eletivas e impasses com o auditor foram resolvidos. "As IHs estão todas autorizadas, as cirurgias eletivas que a gente demanda pela Secretaria estão liberadas e já foi amenizada a questão com o auditor também", garantiu o prefeito. Sendo assim, a prefeitura seguirá repassando ao Hospital São João Bosco R$ 220 mil, que é destinado para pagar: Internação Clínica e Cirúrgica: (R$ 30 mil); Sobreaviso de Obstetrícia (R$ 34,3 mil); Sobreaviso de Pediatria (R$ 18 mil); Sobreaviso de Cirurgia e Anestesia (R$ 22,4 mil); Plantão noturno Clínico Geral das 19h às 7h, todos os dias incluindo sábados domingos e feriados (R$ 69,5 mil); Cirurgias eletivas até 10 por mês para pacientes selecionados pela Secretaria Municipal da Saúde (R$ 18 mil); Incentivo municipal à contratualização (R$ 27,6 mil). Além disso, é pago pelo Município mais R$ 5 mil mensais para realização de Raio X.

’Tínhamos que dar uma satisfação para a comunidade’

O diretor do Hospital São João Bosco, Rogério Soldatelli, declarou ao L’Attualità que, após os desentendimentos na reunião do dia 30 de abril, as entidades precisavam encontrar solução e esclarecer as decisões à comunidade. "Eu e o prefeito conversamos que tínhamos que dar uma satisfação para a comunidade. Então eu disse que ficava a cargo dele a decisão", ressalta. Rogério destacou que, diante das exigências do auditor, solicitava que o trabalho do Hospital permanecesse como nos anos anteriores. "Estou aqui há 35 anos e passamos por várias administrações públicas com o mesmo sistema de trabalho, e nunca prejudicamos ninguém. Por isso teria que continuar nesses mesmos moldes. E foi o que aconteceu. Vai ser cumprido o contrato e a coisa vai andar nos moldes que vinha andando e pronto", destacou.

Rogério declara que um dos maiores impasses com o auditor foi resolvido e lembra que apoia a fiscalização, mas não concorda com as tentativas de interferência na atuação do Hospital. "Continuaremos conversando com o auditor, a gente não é contra a fiscalização dele. Ele e qualquer outro cidadão que tiver dúvidas pode vir esclarecer a lisura dos nossos negócios, que é só o nosso dever. Estou aqui representando 40 sócios beneméritos com uma procuração na mão, não tem nada de extraordinário a não ser trabalho, dedicação e planejamento", destacou o diretor do Hospital São João Bosco, revelando que a partir de agora as tratativas serão feitas diretamente entre ele e o prefeito Kuwer. "O prefeito tem o telefone da minha casa e eu tenho o telefone da casa dele, 24 horas. E qualquer situação que se interpõe eu converso direto com ele e ele comigo", revela.