Greve dos caminhoneiros   28/05/2018 | 11h42     Atualizado em 28/05/2018 | 15h56

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Greve dos caminhoneiros: Abcam anuncia acordo com governo em nota oficial

Associação Brasileira dos Caminhoneiros declarou, na manhã desta segunda-feira (28), que caminhoneiros devem voltar às atividades. Abcam considera que reivindicações tenham sido atendidas, mas espera que governo torne permanente a redução no diesel

textos
textos

Foto: Jornal L’Attualità

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) confirmou na manhã desta segunda-feira, 28 de maio, a assinatura de acordo com o governo federal. Diante das medidas anunciadas pelo presidente Michel Temer, a entidade considera que os caminhoneiros devam voltar às suas atividades. Neste domingo (27), o presidente indicou a redução de R$ 0,46 no preço do diesel por 60 dias, após este período os reajustes passariam a ser feitos a cada 30 dias; suspensão da cobrança de pedágio para eixos suspensos de caminhões vazios; estabelecimento de tabela mínima de frente; e garantia de 30% dos fretes da Conab para caminhoneiros autônomos.

Em nota oficial, a Abcam declarou que "a categoria conseguiu ser atendida em diversas reivindicações", por isso decidiu assinar o acordo para pôr fim às paralisações dos caminhoneiros autônomos. A Associação informa, ainda, que considerou positiva redução do valor do diesel por 60 dias, e não apenas por 30 dias, como divulgado na sexta-feira (25), mas acredita que até dezembro deste ano o governo encontre soluções para que esta redução seja permanente.

O presidente da Abcam, José da Fonseca Lopes, reconhece que nem todos os motoristas têm a mesma opinião dos líderes e alguns deles ainda não tomaram conhecimento da decisão, mas informa que o número de caminhoneiros parados deve diminuir nas próximas horas. "Vale lembrar que ainda que a entidade se manifeste pelo fim das paralisações, nem todos os manifestantes seguem o mesmo entendimento. Mas acreditamos que até o fim da tarde de hoje a quantidade de caminhões parados tenha sido reduzida de forma significativa", declarou em entrevista à emissora de rádio.