Polícia   26/09/2018 | 16h27     Atualizado em 27/09/2018 | 16h14

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Em São Marcos, residência utilizada como ponto de tráfico no bairro Henrique Pante pode ser confiscada após conclusão de processos criminais

Após quarta ação de prisões por tráfico de drogas na Rua Cônego João Marchesi, em São Marcos, promotoria aguarda fim de processos criminais para solicitar confisco de residência. Casa poderá ser leiloada

5 prisões por tráfico de drogas foram realizadas na mesma residência da Rua Cônego João Marchesi em 3 oportunidades
5 prisões por tráfico de drogas foram realizadas na mesma residência da Rua Cônego João Marchesi em 3 oportunidades

Foto: divulgação Brigada Militar de São Marcos

Após a quarta ação envolvendo prisões por tráfico de drogas (até o momento de 6 pessoas) realizada na Rua Cônego João Marchesi, bairro Henrique Pante, no período de um mês, a promotoria de justiça de São Marcos aguarda a conclusão dos processos criminais para a possível decretação de perdimento (confisco) do imóvel utilizado para o crime. No ponto de tráfico localizado na residência de número 839 foram realizadas as prisões de uma mulher de 19 anos com 358g de cocaína, no dia 24 de agosto; dois homens (um menor de idade) com 88 petecas de crack, no dia 28 de agosto; e mais 2 traficantes com 64,9 gramas de maconha e 3,27 gramas de crack no último dia 13 de setembro. Nesta terça-feira (25), a Brigada Militar de São Marcos realizou mais uma prisão, na residência de número 773, próxima do conhecido ponto de venda de drogas. O indivíduo João Francisco da Silva, que estava em prisão domiciliar, foi detido com três pedras de crack (41g), três tijolos de maconha (1.3kg) e duas buchas de cocaína (6g). "Nesse endereço tem um complexo com 4 casas e o promotor disse que vai tentar identificar o proprietário daquele espaço, para que ele seja ouvido. Porque se esse pessoal do crime está procurando ele, é porque ele está alugando. Nós efetuamos as prisões e agora quem faz o inquérito policial, a investigação e a conclusão é a Polícia Civil", ressalta o major Juliano Amaral, comandante do 36º Batalhão de Polícia Militar da Serra.

Conforme revela o promotor de Justiça de São Marcos, Evandro Kalbatch, a residência da Rua Cônego João Marchesi poderá ser confiscada após a comprovação de sua utilização para o crime. "Vai ser investigado para saber de quem é a propriedade do terreno e, se for comprovada a utilização da casa para o tráfico, é possível o perdimento do imóvel. Os primeiros 3 processos já chegaram para mim e em todos eles já foi pedida a decretação do perdimento de imóvel. Mas tem que esperar a sentença final do processo criminal, para ver se eles serão condenados ou absolvidos e se vai ser comprovada a posse da propriedade por algum dos denunciados e condenados", detalha Evandro. Segundo o promotor, a casa não poderá ser interditada antes da sentença final dos processos. "Eu poderia entrar com uma ação cautelar para interditar a casa, mas já realizei essa ação em outras oportunidades e sei, por experiência própria, que isso acaba demorando mais que a sentença criminal, onde realmente é decretado o perdimento do imóvel. Então não faço mais a ação cautelar, que teoricamente deveria ser mais rápida e prática, e peço no processo criminal, que acaba sendo de fato mais rápido", destaca o promotor Evandro Kalbatch. Conforme revela, caso haja o perdimento do imóvel, a residência irá a leilão e a verba será destinada ao Funad (Fundo Nacional Antidrogas).