Política   02/10/2018 | 14h40     Atualizado em 02/10/2018 | 19h05

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

PP recebeu candidatos em São Marcos na última sexta-feira (28)

Candidatos à reeleição Ernani Polo, Sérgio Turra e Afonso Hamm estiveram no município, participando de reunião e caminhada pelo centro da cidade

Presença dos candidatos à reeleição, deputado estadual Sérgio Turra e deputado federal Afonso Hamm
Presença dos candidatos à reeleição, deputado estadual Sérgio Turra e deputado federal Afonso Hamm

Foto: divulgação

Na manhã da última sexta-feira, dia 28 de setembro, o deputado estadual Ernani Polo, candidato à reeleição no próximo dia 7 de outubro, foi recebido no município pelas lideranças do PP de São Marcos. Durante a tarde foi a vez do deputado estadual Sérgio Turra e o deputado federal Afonso Hamm, ambos candidatos à reeleição, visitarem São Marcos. "Eles participaram de uma reunião no diretório, com os filiados e apoiadores. E depois foi feito uma caminhada pelo centro da cidade", conta o vereador Genilson Marcon, presidente da base progressista em São Marcos.

Candidatos e filiados do PP local realizaram caminhada pelo centro da cidade
Candidatos e filiados do PP local realizaram caminhada pelo centro da cidade

Foto: divulgação

Conforme revela Genilson, o PP são-marquense tem uma equipe de cerca de 25 pessoas trabalhando na campanha dos candidatos apoiados pelo partido. "A aceitação do candidato a governador que apoiamos, Eduardo Leite (PSDB), está muito boa. O pessoal não gostou muito que o Sartori aumentou os impostos e está querendo apostar numa figura mais jovem agora. A candidatura do Eduardo Leite está sendo bem aceita na rua", destaca Genilson. Conforme o vereador, na disputa pela Presidência da República, o apoio local dos progressistas continua, em sua maior parte, com Jair Bolsonaro (PSL). "Agora que estão saindo pesquisas de intenção de voto, alguns que votariam no Geraldo Alckmin (PSDB) e Ana Amelia (PP) estão migrando para outro lado. Mas a maioria, a grande parte, está indo para o lado do Bolsonaro. Agora entra aquela questão de voto útil, eles vêem que um candidato não tem chance e votam no outro", observa Genilson.