Comércio varejista   22/08/2017 | 20h42     Atualizado em 23/08/2017 | 16h17

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

L’Attualità de São Marcos participa da abertura da 36ª Expoagas em Porto Alegre

Convenção Gaúcha de Supermercados iniciou nesta terça (22), na Fiergs, com projeção de movimentar meio bilhão em negócios até quinta (24)

Expoagas movimenta 347 expositores e cerca de 44 mil pessoas no Centro de Eventos da Fiergs
Expoagas movimenta 347 expositores e cerca de 44 mil pessoas no Centro de Eventos da Fiergs
Foto: Jornal L’Attualità

A convite da Agas (Associação Gaúcha de Supermercados), o Jornal L’Attualità de São Marcos participa da cobertura da 36ª Expoagas, maior feira supermercadista do Cone Sul. Entre essa terça-feira (22) e a próxima quinta (24), o evento reunirá em torno de 44 mil pessoas ligadas ao varejo, ao setor atacadista e à indústria no Centro de Eventos da Fiergs (Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul), em Porto Alegre. Três  supermercados de São Marcos (Cooperativa Rio Branco, Super Marco e São Martinho) são sócios da Agas, sendo que a gerente de Compras da Cooperativa Rio Branco, Tânia Fochesatto Ampessan, é representante regional da AGAS e foi citada na solenidade de abertura. Com mais de 800 lançamentos, que chegarão aos supermercados em setembro, a feira está mostrando as tendências de consumo do segmento. São 347 expositores de diversos Estados brasileiros (72% do RS) e de países vizinhos, como Argentina e Uruguai. Eles estão instalados em estandes, comercializando produtos a preços especiais, o que representa oportunidade única de negócios. Conforme o presidente da Agas, Antônio Cesa Longo, a expectativa é de que as transações movimentem quase meio bilhão de reais. "Projetamos movimentação de R$ 497 milhões em negócios. Caso se confirme, o crescimento será de 6% em relação ao ano passado", comentou Longo na entrevista concedida aos veículos de comunicação. O balanço com os números oficiais da feira será realizado às 15h desta quinta (24).

 

O presidente da Agas conversou com o L’Attualità e destacou o momento vivido pelo setor supermercadista gaúcho no contexto de crise econômica atravessado pelo país. "Estamos num período de deflação, com queda de preços em alguns segmentos, como o lácteo, onde os preços caíram até 30%. Isso acabou alavancando as vendas deste segmento entre 10% e 15%, o que favoreceu o consumidor. Mas em geral as vendas no primeiro semestre de 2017 estão 5% abaixo de 2016", revelou, salientando que já há sinais de retomada. Ele também falou sobre a forma de o supermercadista alavancar as vendas. "Tem que agregar qualidade e variedade e oferecer preço baixo", resumiu, destacando a busca de eficiência, com redução de custos. É atenta a essa necessidade que a Expoagas conta neste ano com expositores dos ramos de engenharia e eficiência energética. "A feira é um espelho das necessidades e tendências do setor varejista, cada vez mais atento às minimizações de desperdícios", observou.

Palestras do economista Ricardo Amorim, do historiador Leandro Karnal e do comunicador Serginho Groisman são destaques da programação

Autoridades na coletiva de imprensa na abertua da Expoagas nesta terça (22)
Autoridades na coletiva de imprensa na abertua da Expoagas nesta terça (22)
Foto: Jornal L’Attualità

Além da feira de negócios, a Expoagas 2017 propicia visitas técnicas e conferências no Centro de Aperfeiçoamento Técnico, onde também ocorrem oficinas práticas - nesta tarde foi realizada a oficina sobre "Qualidade na conservação e armazenamento de frutas" e amanhã (23) o tema é "Padarias: tendências, inovação e oportunidades". Destaque da programação são as palestras magnas no Teatro do Sesi, que debatem a conjuntura político-econômica do país, o empreendedorismo e soluções práticas para o varejo. As principais atrações são o historiador Leandro Karnal - que palestra nesta quarta-feira (23), às 10h30, com o tema "Olhando a crise com perspectiva" -, o comunicador Serginho Groisman - que palestra nesta quinta (24), às 9h, com tema Empreendedorismo - e o economista da Globo News Ricardo Amorim, que palestrou nesta terça (22), às 10h30, com o tema "Oportunidade e Estratégias no Varejo" - após sua fala houve debate mediado pelo editor-chefe da revista Supermercado Moderno Sérgio Alvim, com os especialistas no segmento varejista Ari Giroto e José Barral.

Agas elogia reforma trabalhista e vice-governador defende plebiscito para venda de estatais: ’Não é função do Estado ter empresa de energia elét

Vice-governador José Paulo Cairolli na coletiva de imprensa: ’supermercado é o termômetro da economia’
Vice-governador José Paulo Cairolli na coletiva de imprensa: ’supermercado é o termômetro da economia’
Foto: Jornal L’Attualità

Além do presidente da Agas, o L’Attualità conversou com o supermecardista honorário deste ano, o presidente da Fecomércio Luiz Carlos Bohn (ele será homenageado no jantar desta noite no Leopoldina Juvenil). Bonh elogiou a reforma trabalhista e comemorou o decreto presidencial promulgado no início do mês, que inclui os supermercados na lista de atividade essenciais, o que permitirá o funcionamento das lojas aos domingos, feriados e em horários especiais. "Isso permitirá mais contratações e é um estímulo para o setor", declarou, salientando a importância de o negociado entre patrões e empregados prevalecer sobre o legislado (CLT). "Agora precisamos pressionar o Congresso para aprovar a reforma da Previdência", salientou. No discurso proferido na cerimônia de abertura da Expoagas, o presidente da Antonio Cesa Longo também defendeu a reforma trabalhista. Em sua avaliação, ela é apenas o "primeiro passo" de uma série de reformas que precisam ser feitas para modernizar o Brasil. "Uma das mais importantes é a reforma tributária: temos uma das mais altas cargas de impostos do mundo e muita burocracia, o que inibe investimentos e trava a economia", avaliou. Longo disse ser um "entusiasta da Operação Lava-Jato", que está colocando políticos e empresários corruptos na cadeia e que segundo ele irá reaver mais de R$ 40 bilhões desviados dos cofres públicos.

 

O vice-governador José Paulo Cairolli - que representou José Ivo Sartori, em viagem à Brasília - também falou com o L’Attualità. Ele destacou a importância do segmento e relevância da Expoagas. Em sua avaliação, o supermercado é "termômetro da economia". "É um setor que gera emprego e renda e que atende às necessidades básicas da população", comentou. Questionado sobre a venda de estatais como CEE, CRM e Sulgás (temas que estão em debate na Assembleia Legislativa), Cairolli defendeu a realização de um plebiscito. "Não tivemos apoio da maioria dos deputados e defendemos que a decisão seja transferida à sociedade através de um plebiscito. Acreditamos na necessidade de redução do Estado, que não pode continuar com essa falta de recursos", afirmou, lembrando que em 46 anos apenas em 7 o governo do Estado gastou menos do que arrecadou. "Nossa intenção é privatizar ou federalizar algumas estatais, porque não é função do Estado ter empresa de energia elétrica, mineração e distribuição de gás quando precisa garantir saúde, educação e segurança", ponderou. Ele ressaltou que o Banrisul, que está dando lucro, não entra no pacote de estatais a serem privatizadas.

Feira apresenta mais de 800 lançamentos que chegarão aos mercados em setembro
Feira apresenta mais de 800 lançamentos que chegarão aos mercados em setembro
Foto: Jornal L’Attualità

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia