Comércio Varejista   23/08/2017 | 17h28     Atualizado em 29/08/2017 | 09h54

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

L’Attualità na Expoagas: jantar no Leopoldina Juvenil celebra 36 anos da maior feira supermercadista do Cone Sul

Evento realizado nesta terça (22) reuniu empresários e imprensa num dos mais tradicionais clubes de Porto Alegre. Palestra de Leandro Karnal e Painel Jurídico sobre Reforma Trabalhista foram atrações desta quarta (23)

Jantar reuniu empresários, autoridades e imprensa na Associação Leopoldina Juvenil
Jantar reuniu empresários, autoridades e imprensa na Associação Leopoldina Juvenil
Foto: divulgação Agas

Uma noite de gala. Assim pode ser definido o jantar realizado pela Agas (Associação Gaúcha de Supermercados) que reuniu empresários, autoridades e imprensa na Associação Leopoldina Juvenil. O mais tradicional clube porto-alegrense foi palco da cerimônia realizada na noite desta terça-feira (22) para celebrar o sucesso da 36ª edição desta que é a maior feira supermercadista do Cone Sul. Com 347 expositores e aproximadamente 44 mil visitantes, a Expoagas 2017 apresenta mais de 800 lançamentos de novos produtos que estarão chegando as gôndolas dos supermerados nos próximos meses. Com estimativa de alcançar a cifra de R$ 497 milhões em negócios, a feira segue até essa quinta (24), com ampla programação que envolve oficinas técnicas na Carreta Agas, painéis temáticos no CAT (Centro de Aperfiçoamento Técnico) e palestras magnas no teatro do Sesi. A convite da Agas o Jornal L’Attualità de São Marcos está na capital gaúcha acompanhando os principais acontecimentos da Convenção Gaúcha de Supermercados.

Patrocinadores da 36ª Expoagas receberam homenagem durante a noite
Patrocinadores da 36ª Expoagas receberam homenagem durante a noite
Foto: divulgação Agas

Também se encontra em Porto Alegre a gerente de compras da Cooperativa, Tânia Ampessan Fochesatto. Representante regional da Agas, ela participou do jantar desta terça (22) e nesta quarta (23) acompanhou o painel jurídico sobre a Reforma Trabalhista realizado no CAT. Tânia também está aproveitando a feira para adquirir novos produtos e levar alguns lançamentos da indústria supermercadista a São Marcos. "A Expoagas é um grande evento e também uma ótima oportunidade para realizar compras", comentou.  

 

Ao chegar a sua 36ª edição, o evento firma-se como um dos mais importantes do Brasil no segmento. Representantes de 24 Estados brasileiros estão em Porto Alegre participando da exposição. E pelo que disse o presidente Antonio Cesa Longo na noite de terça (22), a 37ª Expoagas já está garantida. "Quero anunciar aqui que acabamos de confirmar o patrocínio master da Nestlè para 2018", declarou Longo no palco do Leopoldina Juvenil, solicitando atenção da animada plateia que participou do jantar. Ele também informou que 80% dos estandes para a edição do ano que vem já foram comercializados. "Isso mostra o sucesso deste evento", observou, sob aplausos da plateia.

Karnal: "Sera reeleitos, fazer sucessores e evitar cadeia são prioridades dos políticos brasileiros’

Historiador Leandro Karnal palestrou na manhã desta quarta (23): ’Vivemos uma crise de lideranças’
Historiador Leandro Karnal palestrou na manhã desta quarta (23): ’Vivemos uma crise de lideranças’
Foto: Jornal L’Attualità

Nesta quarta-feira (23) a Expoagas seguiu com palestras, oficinas e cursos de aperfeiçoamento técnico. Um dos destaques da programação foi a palestra proferida às 10h30 pelo historiador Leandro Karnal que lotou o auditório do Teatro do Sesi. Com o título "Olhando a crise com perspectiva", o professor da Unicamp e colunista do Jornal Estadão abordou diversos temas relacionados à realidade sociopolítica e econômica do Brasil. "Não é a pior crise que já enfrentamos, mas uma das mais graves em termos de perspectiva. Na realidade vivemos uma crise de lideranças", comentou logo na abertura de sua fala. Em seguida, ao falar sobre os atuais políticos brasileiros, Karnal foi literalmente "carnal". "As crises passam e as empresas permanecem. Quem enche os cofres somos nós, que trabalhamos todo dia. O que me reconforta é saber que daqui a 20 anos alguns desses políticos que tanto nos incomodam não estarão mais aqui, porque alguns dos políticos atuais estarão mortos", declarou, arrancando aplausos do auditório. Karnal também foi irônico ao citar as três prioridades dos governantes brasileiros. "O que eles querem é ser reeleitos, fazer seus sucessores e evitar a cadeia. Desenvolver um projeto para administrar o país não é prioridade", assinalou.

Juízes Federais debatem sobre Reforma Trabalhista e terceirizações

Com 347 expositores e aproximadamente 44 mil visitantes, a Expoagas 2017 apresenta mais de 800 lançamentos de novos produtos
Com 347 expositores e aproximadamente 44 mil visitantes, a Expoagas 2017 apresenta mais de 800 lançamentos de novos produtos
Foto: divulgação Agas

Também o painel jurídico sobre Reforma Trabalhista e Terceirizações foi destaque da programação da Expoagas nesta quarta (23). Tendo em vista que a nova legislação entra em vigor em 11 de novembro, o tema interessou centenas de empresários, que lotaram o auditório do CAT (Centro de Aperfeiçoamento Técnico) entre 13h e 16h. Os juízes federais Marlos Meler e Rodrigo Trindade e o Procurador Público do Trabalho no RS Paulo Joares Vieira apresentaram pontos de vista antagônicos sobre o polêmico assunto, num debate mediado pelo advogador Flávio Obino Filho. Para o juíz Marlos Meler, a reforma trabalhista é positiva e vai ajudar a gerar postos de trabalho. "Apesar de começar a valer só em novembro, a reforma trabalhista já melhorou o ambiente de negócios, dando mais segurança jurídica para quem emprega", declarou, defendendo pontos polêmicos como a terceirização e o trabalho intermitente (pessoa trabalhar em alguns dias ou por algumas horas em locais diferentes recebendo pelas horas trabalhadas).

 

Já o Juíz Rodrigo Trindade acredita que a reforma tem graves problemas de inconstitucionalidade e contribuirá para gerar um clima de ainda mais instabilidade jurídica. "Se aproveitou de um dos momentos mais conturbados e instáveis do país para se aprovar uma mudança na legislação pouco debatida pela sociedade", declarou, salientando que a CLT (Convenção de Leis Trabalhistas) é antiga e precisa ser modernizada. Para o Procurador do Trabalho Paulo Vieira a nova lei vai piorar as relações de trabalho. "Essa reforma tira direitos. Mesmo que não revogue a Constituição, cria obstáculos. O que gera emprego é desenvolvimento econômico e não reforma trabalhista", afirmou. Para ele, a reforma foi feita de maneira unilateral, com visão mais ideológica do que técnica. "Não existe acordo tácito numa relação de subordinação onde um manda e outro obedece", declarou, criticando a prevalência do acordado entre patrões e mpregados prevalecer sobre o legislado. 

 

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia