Semana da Pátria   05/09/2017 | 11h55     Atualizado em 05/09/2017 | 17h37

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Cinco mil estudantes e voluntários participaram do Desfile Cívico em São Marcos

Desfile aconteceu no último dia 2 de setembro, sábado, com presença de 31 entidades, que desfilaram em frente à Igreja Matriz. Caminhada teve protesto de professores do Estado

Desfilaram pela Osvaldo Aranha 18 escolas de São Marcos, CTGs, escoteiros e outras entidades
Desfilaram pela Osvaldo Aranha 18 escolas de São Marcos, CTGs, escoteiros e outras entidades
Foto: divulgação Câmara de Vereadores

A data que marca a Independência do Brasil, proclamada em 7 de setembro de 1822, é lembrada anualmente em todo o país com os Desfiles Cívicos. Em São Marcos, as homenagens à Patria são coordenadas pela Secretaria Municipal de Educação, que anualmente organizada a tradicional caminhada cívida. Em 2017,  o Desfile Cívico aconteceu no último sábado, dia 2 de setembro. A partir das 14 horas, 31 entidades desfilaram pela Rua Osvaldo Aranha, em frente à Igreja Matriz. O 3° Grupo de Artilharia Antiaérea de Caxias do Sul, Brigada Militar e Corpo de Bombeiros de São Marcos, Grupo Escoteiro Tabajara e a Banda Municipal de São Marcos foram os primeiros a passar em frente ao palanque das autoridades. Em seguida, passaram 6 escolas de Educação Infantil, 12 escolas municipais e estaduais, Apae, grupos tradicionalistas, escola de Taekwondo, escola da Igreja Assembleia de Deus e também a Banda Marcial Emílio Meyer, de Caxias.


Cerca de 5 mil pessoas desfilaram para um público que lotou as calçadas da Osvaldo Aranha para prestigiar os filhos, familiares e amigos. No desfile foi abordado de diferentes formas o tema central "Brasil: resgatando valores e diferentes saberes". "Estamos vivendo em um momento em que o resgate dos valores se faz necessário, para que sejamos pessoas melhores e, como consequência, sejamos pessoas que amam a pátria. Acho importante os estudantes estarem conscientes da nossa situação, para que possam refletir sobre nossas ações enquanto brasileiros, pois não basta somente criticar, temos que acreditar e lutar por um Brasil melhor", destacou a secretária municipal de Educação, Tatiane Zulian.

 

Autoridades são-marquenses ocuparam palanque em frente à Igreja Matriz
Autoridades são-marquenses ocuparam palanque em frente à Igreja Matriz
Foto: divulgação Câmara de Vereadores

No palanque estavam presentes o prefeito Evandro Kuwer, vice-prefeita Rosa Nicoletti Fontana, presidente da Câmara de Vereadores, Patrícia Camassola Tomé. Também os secretários municipais de Educação, Tatiane Borghetti Zulian; de Administração, Renato Chinelatto; da Fazenda, Kariny Boff; da Agricultura e Meio Ambiente, Fabiano Varela; diretora da Assistência Social, Maria Aparecida Libardi Boff; diretora de Cultura e Turismo, Géssica Gozzi, capitão Robson Pacheco Araújo do 3º Grupo de Artilharia Antiaérea; sargento da Brigada Militar Eberton dos Santos Pires, 1º Tenente do Corpo de Bombeiros Alexandre Machado, procurador do município Bruno Fachini e vereadores Fúlvio Pessini e Ivana Mioto Polo.

Maranhão e Ginásio protestam contra parcelamento de salários

Professores e funcionários protestaram contra corrupção, parcelamento de salários e exploração da Amazônia
Professores e funcionários protestaram contra corrupção, parcelamento de salários e exploração da Amazônia

A tradicional caminhada que valoriza os símbolos da pátria e lembra evento importante para o Brasil, neste ano contou com protestos dos professores da rede estadual. Cerca de 40 professores e funcionários da Escola Estadual Maranhão e 55 do Colégio Estadual São Marcos (Ginásio) desfilaram juntos vestidos de preto e carregando uma faixa preta sem escritos. O que motivou ação foi o anúncio de mais um parcelamento de salários por parte do governo do Estado (até o dia 31 de agosto foram pagos apenas R$ 350). O valor da parcela revoltou os profissionais, que reivindicaram também a valorização da profissão e protestaram contra corrupção. Algumas escolas estaduais de São Marcos já decretaram paralisação em meio turno até o pagamento integral dos salários.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia